01 May 2015

A rotina de um Ledor

   Quando o livro é uma extensão do homem. 
   A gente não percebe quando o amor chega e ai ele se torna uma parte tão intrínseca da vida que de repente é só sentir. Assim eu imagino meu amor pelos livros e por isso resolvi expressar em meu primeiro texto no blog esse sentimento que o leitor carrega pra sempre em forma de páginas. 
   Não sei vocês, mas eu sempre estou com um livro na bolsa e levo pra todo o lado, como se ele fosse um pedaço de mim. Parece que uma bolsa sem livro é um corpo sem alma. Essa mania foi se tornando tão natural quanto respirar e quando me vi, tão apegada assim as palavras, já era tarde demais, o amor já havia passado dos limites. 
   Todas as manhãs, ao arrumar minha bolsa para ir ao trabalho, coloco o livro que estou lendo no momento e ai, me sento sempre no mesmo lugar do ônibus, retiro- o da bolsa e começo a leitura e do nada, somem todos os barulhos, todos os rostos e me concentro nos parágrafos. Ainda assim não posso evitar os olhares de espanto de algumas pessoas ao me verem ler no circular. Tenho que confessar que me divirto com isso. 
   Um dia, voltando para casa já ao entardecer, o ônibus parou em um ponto que fica próximo a um parquinho de bairro e do nada, ouvi risadas vindo do lado de fora. Eram duas crianças rindo de mim e pude entender quando uma delas apontou em minha direção e falou: “Olha ela está lendo no ônibus”... fiquei pensando chocada: “.. deveria ser estranho todos não lerem em lugar nenhum..”, mas enfim... é o pensamento de uma geração que ainda não se tornou leitora, pois as duas meninas deveriam ter uns oito anos, no máximo (se bem que com oito anos eu já lia bastante). 
   Hoje, no horário do almoço peguei o circular para ir para a redação, meu segundo emprego, e vi duas pessoas lendo no ônibus e fiquei tão feliz. Minha vontade era de abraçar aqueles dois. Uma menina e um menino. Uma esperança surgiu dentro de mim sabe? Ainda existe uma salvação, ainda veremos muitos ledores, muitas bolsas lotadas de livros e tantas outras pessoas cheias de amor pelas palavras.  

1 comment:

  1. Oi Cleânia! Agora colaborando com o Ju? Adorei o seu texto, essa palavras sinceras representam muito bem o que é ser um leitor. Nunca passei por nada parecido com a situação das menininhas rindo, mas com a parte de ficar muito feliz ao ver outros leitores em ônibus ou outros locais sim.
    Um abraço!
    http://coisasdeumleitor.blogspot.com.br/

    ReplyDelete