04 May 2015

Resenha: Um Porto Seguro

   Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas... e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio.

RESENHA
   Erin é uma esposa que chegou ao seu limite, e o motivo disso é que de um tempo para cá seu marido Kevin passou a agredi-la por motivos banais, e depois de anos aturando isso, vivendo totalmente presa em sua própria casa e não tendo praticamente nenhum contato com o mundo, ela não aguenta mais e prefere tudo menos aquele inferno de vida.
   Após alguns meses roubando dinheiro de seu marido enquanto o mesmo depois de agredi-la se embriagava, ela foge de casa pela segunda vez, mas dessa vez, com o intuito de nunca mais voltar. Ela precisa eliminar qualquer vestígio de sua vida antiga, e para isso, assume uma nova identidade, o nome de Katie.
   Depois de anos de sofrimento, ao chegar na pacata cidade de Southport, ela vê ali a esperança que sempre procurou, de que pode recomeçar e reconstruir a sua vida. Então nessa adaptação e transição de vida, ela tem todos os sentimentos possíveis e os vive profundamente, mas sempre com muito receio e medo em contar para alguém sobre qualquer detalhe da sua vida anterior...
   Quando ela conhece Alex, sente-se atraída pelo pai de família que após o falecimento de sua mulher, passou a dedicar todos os momentos de sua vida aos seus filhos, Josh e Kristen, e a sua loja de "tem-de-tudo" cujo os maiores clientes são os turistas que passam por ali para fazer uma parada de descanso.
   E como no livro temos a visão de Alex também, essa atração é recíproca, porém Katie é tão misteriosa que isso o intriga um pouco e como tem um bom coração e uma alma de investigador, ele sabe que o passado dela não foi tão bom e está disposto a fazer de tudo para ter Katie em sua vida e ajudá-la em seus problemas.
   Também temos na história Jo, uma mulher ainda mais misteriosa do que Katie que se muda ao lado da casa alugada por ela. Jo é inteligente, sabe o que fala e leva tudo como uma metáfora, assim, conquista a amizade de Katie aos poucos e em um momento crucial, abre os olhos de Katie sobre o que ela está vivendo: uma fugitiva que está criando raízes em uma cidade, e que isso, pode atrair a atenção de seu marido. E se ele descobrir o paradeiro de sua mulher Erin, todo o inferno pode voltar...
   Então, a partir daí, acompanhamos a trama que irá se desenvolver lentamente, Katie tem que escolher entre criar um vínculo de vez com Alex ou abandonar essa sua nova vida e continuar mundo à fora como uma fugitiva...

   Esse é um dos poucos livros do qual não tenho muita coisa para falar, mas que mesmo assim sinto uma vontade imensa de compartilhar a minha opinião com o mundo. É um livro com diversas facetas, e que me surpreendeu muito, muito, muito mesmo justamente por ser de um autor ao qual eu tinha um certo preconceito.
   Mas vamos lá...

   Vou começar por esse tal "preconceito" que tive com o autor... Sabe, há muito tempo atrás li Querido John e gostei muito, e com os anos se passando, só fui lendo opiniões sobre os livros dele e percebendo que era sempre a mesma coisa: romancezinho dramático e meloso... Até que me deparei com esse livro, li a sinopse e resolvi dar uma chance rumo à mudar de ideia em relação ao autor.
   De início achei o tema central uma coisa meio forçada, e estava jurando de que o autor não seria capaz de retratar tão bem assim a violência contra mulheres, e ao ler o livro, me senti um idiota por presumir uma coisa dessas sem ao menos me aprofundar na pesquisa do livro.

   O enredo, totalmente natural! Tudo flui de uma forma tão simples e ao mesmo tempo agressiva, que você se sente dentro da história e sente que em algum momento pode fazer alguma coisa para ajudar a pobre mulher que está passando por dificuldades.
   A história inteira é detalhada por muitos detalhes, e tudo acontece exatamente quando tem que acontecer. Cada palavra do livro, cada vírgula e cada personagem ali criado tem uma razão para qual exista, e acredite, no final do livro você vai concordar comigo! Pois é no final que tudo se encaixa, que toda a história e os mínimos detalhes fazem valer a pena.

   Os personagens, esses sim me conquistaram e me fizeram mudar de opinião em relação ao autor. Todos os personagens são escritos perfeitamente, e todas as suas emoções são descritas tão claramente que torna a leitura muito natural. No livro, você não vê somente a visão da mulher cansada de sofrer, mas também vemos a mente psicopata do agressor, que mesmo após fazer tudo de mal para a sua mulher alega que isso é somente por amor, e que não há pessoa que siga a bíblia tão fielmente quanto ele. E é nisso que vemos o quanto Nicholas Sparks pôde trazer um assunto tão pesado pra um romance e fazer parecer tão simples...

   A escrita... Como já havia lido um livro do autor, não demorei para pegar o ritmo e acredito se não tivesse lido seria a mesma coisa. Todos sabem que Nicholas Sparks escreve romance, e de praxe já podemos imaginar que sua escrita é fácil de ler, e com esse livro não é diferente. Ele escreve tudo impecavelmente e nos dá tantos detalhes como se ele mesmo tivesse passado por problemas daquele tipo, porque o realismo que o livro tem é tão intenso que você se emociona muito com a história.

   Por fim, o livro é um retrato de instintos humanos e sentimentos intensos que nos fazer refletir a que ponto nós somos felizes, a que ponto nós temos uma vida boa e duvidamos disso e principalmente, a compaixão que temos ao ler essa história.

"Às vezes, começar de novo é exatamente o que uma pessoa precisa. E eu acho que é algo admirável Muitas pessoas não tem a coragem necessária para fazer algo assim."

   Com muito orgulho, o livro leva 4 diários e já estou fazendo planos para ler mais livros do Nicholas.


Espero que tenham gostado, e até mais Ledores!

3 comments:

  1. Olá! Nós do Coisas de Um Leitor te indicamos para a TAG Frases de Mãe, se puder responda antes do dia da Mães. hehe
    http://coisasdeumleitor.blogspot.com/2015/05/tag-frases-de-mae.html

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, pretendo fazer a TAG em breve e parabéns pelo post!
      Até mais.

      Delete
  2. Se tem uma coisa que eu amo é livro e se tem outra coisa que eu amo é o Nicholas Sparks porque ele sabe como fazer um romance, é um dos melhores livros que eu já li de autoria dele, um dos que mais me prendeu e que eu li mais rapidamente. Uma verdadeira paixão pelas historias dele. Adorei seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu blog: www.umcontainer.com

    ReplyDelete