27 July 2015

Resenha: Colin Fischer


   Sinopse: Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…



RESENHA
   Colin Fischer tem a síndrome de Aspargo, e por isso é frequentemente chamado de “retardado” por suas características. O jovem tem um QI acima de qualquer integrante de sua escola, não reconhece expressões faciais e também entra em desespero quando é tocado sem ser avisado.
   Ele e seu confidente caderninho vermelho estão sempre juntos, e de certa forma é o melhor amigo de Colin, já que ele mesmo escreve todos os seus pensamentos ali, e como não consegue identificar expressões, usa o seu caderno como forma de lembrete sempre anotando sentimentos de acordo com o que vê no rosto das pessoas enquanto dialoga.
   Muito inteligente, e tendo uma concepção das coisas ao seu redor maior do que as outras pessoas, Colin é um aspirante a investigador e com muito talento pra isso, mas ele só tem a chance de mostrar sua capacidade quando uma arma de fogo surge na cantina da escola e ele é o último a sair e vê o que ninguém mais vê: detalhes quase inúteis mas que para Colin podem revelar quem trouxe aquela arma para a escola.
   Apesar de possuir características que o diferencia dos outros jovens, ele é um garoto propício a um possível romance como qualquer um outro, mesmo que seja totalmente do seu jeito. E é assim com Melissa, a simpática menina que conhece Collin desde que eram bem pequenos e ainda pequena já roubava o coração dele e o fazia suspirar  teorias de como o amor funciona no cérebro.
   Então nisso temos de um lado o grupo de inimigos cujo Colin suspeita severamente de que um integrante é o culpado, e de outro temos um menino estranho, um caderno vermelho e a vítima principal que Colin está tentando provar sua inocência: Wayne, cujo ele alguns dias atrás enfiou a cabeça do próprio Colin na privada.
   Senti que esse livro é um daqueles livros em que você precisa comentar sobre ele com alguém, que você precisa fazer com que as pessoas o leiam a qualquer custo, mas não por ser um livro extremamente bom e que mudou sua vida, mas sim por sua simplicidade e por e trazer um tema tão delicado para o leitor e introduzi-lo no cotidiano literário.
   Uma das melhores características que mais admirei no livro foi como os autores retrataram a relação entre Colin com outras pessoas, que mesmo sendo um jovem portador de uma síndrome que o torna muito peculiar, os autores ressaltarem nele uma personalidade forte, determinada e que usa a sua inteligência a seu favor. 

   O livro tem uma característica fictícia bem trabalhada, mas que ao mesmo tempo tem aquela realidade crua e simples.
   Um ponto positivo foi às introduções em cada divisão de capítulos, que propriamente são curiosidades sobre diversos temas pelo qual Colin estudou, se interessou e que naquele mesmo capítulo, ele irá passar por coisas semelhantes a essas curiosidades que ele nos quis mostrar.
   Nesse livro temos um enredo cheio de investigações, referências à cultura pop, citações de grandes momentos da atualidade, e muitas pitadinhas de humor e romance. Apesar de se tratar de um tema delicado, a leitura é rápida e fluída e o livro pode ser lido facilmente em um único dia.



“... Não é um livro sobre um garoto com limitações, é um livro sobre um garoto que está tentando se adaptar ao mundo.”

   O livro é uma delícia de ser lido, assim como de ser folheado. O trabalho da editora foi incrível e impecável, nos trazendo uma linda capa, uma ótima diagramação e também uma fonte muito agradável para a leitura.
   Para concluir e pontuar, particularmente foi um livro que comecei a ler sem expectativa alguma e que me surpreendi ao chegar ao final da leitura assim levando 4 diários! 



Espero que tenham gostado e até a próxima Ledores!

No comments:

Post a Comment