11 April 2017

Série: Black Mirror

   Passei três finais de semana vendo as três temporadas lançadas até então, e cheguei a conclusão que: estou viciado em Black Mirror. Além da série ter me conquistado sem eu ter criado nenhuma expectativa, ela passou a ser uma das preferidas de todas as que já assisti na vida.
   Ela é do tipo de série que mais prende a atenção: bagunça todo o psicológico e ainda no final deixa um grande ponto de interrogação. Esse gênero de série é bastante conhecido e chamado como "nonsense", em português "sem sentido", que literalmente é sem sentido, bizarro e contra a lógica.
   Todos os episódios me chocaram e me deram vários motivos para falar deles aqui. Alguns realmente não consegui entender, mas como o objetivo era listar apenas alguns dentre eles, tive que me esforçar um pouco para escolhê-los.
   A série tem como sinopse principal uma sociedade com grande avanço tecnológico e o impacto que essa tecnologia tem em temas cotidianos e nas relações humanas.
   Cada episódio tem seu próprio mundo com uma história completa: começo, meio e fim, ou seja, é uma antologia. Essa é a série perfeita pra quem não se compromete em ver uma serie porque sabe que não vai conseguir acompanhar. Não precisa se preocupar, você pode começar pela segunda temporada, voltar pra primeira, ir pra terceira... Enfim, você quem escolhe quais episódios ver.


   
   A realidade é paralela da que vivemos e muito mais próxima do que imaginamos!
   Sim! Muitas das tecnologias apresentadas na serie já estão em meio a nossa realidade, desfigurando o padrão do gênero fantasioso. A serie tem aquela sensação apocalíptica que fica ainda mais assustadora quando a nos damos conta da proximidade que essa realidade está. 
  
   A brutalidade e bizarrice do episódio "The National Anthem" (S01E01)
   Os melhores adjetivos que encontrei pra descrever esse episodio foram: confusão e ironia. Este foi um dos episódios do qual não consegui absorver muita informação por conta de ter ficado muito confuso e sem saber o que pensar, mas com certeza consegui absorver a enorme ironia que o episodio é.

   A ambiciosidade da tecnologia em "The Entire History of You" (S01E03)
   Nessa visão sobre um futuro próximo, as pessoas tem dispositivos de gravação e reprodução acopladas em seus olhos e gravam tudo o que vêem e podem  executar a qualquer hora que quiserem. Tudo fica acessível, cada segundo do qual você já presenciou foi gravado e pode ser reproduzido e exibido. A filosofia do episodio beira tenuemente a linha do equilíbrio, podendo perder o controle de qualquer situação em questões de segundos, já que quando todos os momentos ficam acessíveis, pessoas poderão usá-los de acordo com seus interesses. O episódio põe em questão a importância da presença física, já que a memoria reproduzida pode ser tão real a ponto da substituição sentimental.

   A perturbação de "White Bear" (S02E02), "Playtest" (S03E02) e "Shut Up and Dance" (S03E03) 
   Quando a intenção do episódio é perturbar quem assiste, esses três episódios chegam ao ápice do terror psicológico. Isso porque, a sagacidade do mistério é tanto, que a tensão dos episódios choca o público lentamente, de minuto a minuto. Fica agonizante acompanhar o sofrimento dos personagens e não poder fazer nada.

   A grandeza do episódio "Nosedive" (S03E01)
   Nele, as pessoas podem ser avaliadas e as notas (que podem chegar até 5) é quem determinará no meio social se a pessoa será respeitada, admirada ou humilhada. Esse episodio é o que mais se aproxima da nossa realidade, o que contrapõe a nossa fome por visualizações e curtidas, vivendo somente para um mundo virtual, ultrapassando nossos limites por números para ter aprovação social.


No comments:

Post a Comment