28 April 2015

Aniversário do blogueiro: 20 anos!

  Aí você para e pensa: hoje completa um ano a mais desde o dia em que nasci... Mas o que isso significa? O que isso torna esse dia diferente dos outros dias? E sua idade, ela é só mais um número não é? São perguntas que ninguém é capaz de responder à si mesmo, embora tenham várias explicações não se sabe o real significado da resposta. 
   Hoje completo vinte anos, completo duas décadas de vida e não vejo o porque desse dia ser mais especial do que qualquer um outro. Hoje é um marco, um dia simbólico de passagem e uma data que deveria ser a minha data e deveria ter uma coisa especial para mim. Mas honestamente, tenho datas mais especiais cujas elas não tem um número, são datas em que não marquei no calendário... São datas que são os acontecimentos daquele dia que às fizeram se tornar um dia especial e não porque todo ano eu me sinta obrigado em fazer de tudo para que aquela data corresponda à uma imensa expectativa. 
   Nessas duas décadas de vida, posso dizer que não vivi muito e nem o tanto quanto gostaria. Deveria ter saído mais, conhecido mais pessoas, desenvolvido melhor a minha comunicação e não ter me fechado tanto para o mundo. Mas acredito que nada é por acaso, e nesses anos que vivi -principalmente os últimos - foram de imensa importância para a pessoa que sou hoje ao escrever esse desabafo. 
   Poxa, vinte anos já? Eu me lembro de estar com quinze ontem e começar a enfrentar os problemas que me levaram à internação dos dezenove... Me lembro dos dezessete estudando a noite e ainda tenho aquela impressão de que no dia seguinte tenho uma aula para ir... E me lembro dos apenas sete anos brincando com os meus colegas na rua, ah, com sete anos eu era feliz de verdade. Acho que nessa idade todo mundo é, porque não se tem conhecimento e maturidade para definir felicidade. 
   Hoje ao publicar esse texto, pode ser que algumas pessoas leiam e digam coisas carinhosas, pode ser que ao sair na rua me aconteça uma coisa boa e pode ser também que os acontecimentos de hoje possa fazer esse dia não ser apenas um número... Assim como todos os dias, vou tentar e fazer de tudo para que esse dia seja um dia especial e que à noite antes de dormir me sinta realizado comigo mesmo. 
                    Mas por hora, 
                       hoje é dia vinte oito de abril de dois mil e quinze, 
apenas isso...
Juliano Fernando
(Uma das paredes do meu quarto)

18 April 2015

Resenha: Replay

Tudo que Andrew Stilman queria era uma segunda chance. Após partir o coração da mulher que amava, seu maior desejo era voltar no tempo e consertar os erros, mas isso é impossível, ou, ao menos, era o que ele pensava.Na manhã do dia 9 de julho de 2012, durante sua caminhada matinal às margens do Rio Hudson, o prestigioso repórter Andrew Stilman é violentamente atacado, sem conseguir ver o criminoso. Após sua morte, o inesperado acontece. O jornalista não vê uma luz no fim do túnel, nem muito menos abre os olhos no céu, mas acorda dois meses antes de seu assassinato. Quando acorda, Andrew está de volta ao dia 9 de maio do mesmo ano. Ele vai reviver os dois próximos meses atento a qualquer detalhe que possa ajudá-lo a descobrir quem o agrediu – ou melhor, irá agredi-lo – dois meses depois.Do coração de Nova York até as ruas de Buenos Aires, Andrew vive uma aventura repleta de reviravoltas, enquanto tenta salvar a própria pele e não decepcionar seu grande amor mais uma vez. O protagonista de Replay, best-seller de Marc Levy, além de consertar os erros que cometeu, terá de correr contra o tempo para tentar evitar sua morte e encontrar seus possíveis assassinos.

RESENHA
   Andrew é um homem muito bem sucedido em sua carreira, tanto que trabalha no jornal mais famoso do mundo, The New York Times. Mas não foi fácil chegar até onde chegou, ao longo da carreira fez diversos contatos importantes assim como fez muitos, incontáveis inimigos.
   Um certo dia, depois de longas horas de trabalho, Andrew encontra em uma esquina a sua paixão de adolescência, cuja a própria, o abandonou sem ao menos se despedir para ir pra uma faculdade. Ela também fica surpresa ao vê-lo. Sentido-se muito atraído, Andrew pede o telefone dela. Bem enigmática, ela diz que está comprometida, mas se o jornalista conseguir resumir sua vida em nove linhas, ela aceita um jantar com ele.
   Andrew corre para fazer essas tais nove linhas, e as envia por torpedo... Dias depois ela responde, aceitando o convite. A partir daí, é questão de tempo até os dois se reapaixonarem e decidirem se casar, tudo de uma forma cômica e apaixonante.
   Na sua despedida de solteiro, o seu único e melhor amigo Simon, o leva a um bar onde sempre frequentaram, mas ali acontece o inesperado, Andrew conversa com uma mulher que mexe com o seu coração repentinamente, a ponto de fazê-lo achar que aquela ali é a mulher da sua vida.
   Sem saber o que fazer, e seguindo o conselho do seu melhor amigo, ele se omite e se apega na ideia de que logo vai esquecer essa mulher cuja qual nem sabe o nome, e que sua futura mulher é a pessoa que ele ama, então os dois seguem adiante com o casamento.
   Logo na noite de núpcias, Andrew ainda não tirou a mulher misteriosa de sua cabeça e já não conseguindo mais mentir, revela toda a verdade a sua esposa. É lógico que ela fica extremamente triste e furiosa, o manda embora de sua casa e diz que nunca mais quer vê-lo na vida.
   Porém, logo no próximo dia, para clarear e distrair sua mente, Andrew vai para a sua corrida matinal, e ao chegar em um beco onde não há uma pessoa ali, ele é golpeado por trás e morre...
   Ou não, o que acontece a seguir é inacreditável, logo depois do golpe, ele lembra de sentir seus olhos fecharem e sentir a escuridão, mas quando acorda, está há exatamente dois meses antes daquilo acontecer. Ele voltou no tempo...
   Então a partir daí, terá que viver seus dois últimos meses atento a tudo a sua volta, vivendo os mesmos dias e presenteando as mesmas coisas pelas quais já passou. Sabendo que seu assassino pode ser qualquer pessoa. Como jornalista ele terá que investigar sua própria morte e quem sabe ele chegue à algum resultado antes do tempo...

   Ah, sabe aquela onda de comprar livros só pelo preço e acabar se surpreendendo com a obra? Foi o que aconteceu com esse livro.
   Não sei dizer ao certo se gostei só porque não tinha altas expectativas ou se realmente o livro é bom, mas ao começar a ler, já me senti cativado pela história e totalmente envolvido na trama. Mas vamos por parte...
   O autor, Marc Levy é super conhecido e sempre vejo alguns de seus livros na lista entre os mais vendidos em sites de compra, mas Replay é um livro que nunca sequer tinha ouvido falar, e como primeira leitura minha do autor, me surpreendi. No começo demorei um pouco para pegar o ritmo da sua escrita (porque ele escreve de um jeito denso) porém depois que você se acostuma, o livro vai fácil e bem fluída.

   Os personagens são normais, o que de um modo me deixou um pouco irritado em alguns momentos mas também me recompensou em outros. Logo no início notei que todos os personagens tem um lado cômico no mesmo nível, o que me deu a impressão de que mesmo sendo uma história de mistério/ficção/aventura o autor quis ressaltar na mesma medida todo esse lado cômico do livro... O que pra mim foi uma ótima ideia, porque naqueles momentos de tensão sempre gargalhava com alguma situação.
   A estrutura da história é mega simples, por mais incrível que pareça, tudo acontece tão naturalmente que te faz achar que o fato de voltar no tempo é possível. E aí entra a escrita do autor, que tornou uma história de pura fantasia em uma história fácil de ser lida e muito surpreendente.

   Os clímaxs do livro não são tão fortes, mas devido a naturalidade que o autor me passou, cheguei à uma conclusão de que ele não quis se prender a tantos detalhes para não se tornar uma história tão clichê e que guardou tudo para o final... Ah, e esse final? Imaginei várias hipóteses mas nenhuma chegou aos pés do final desse livro, porque fala sério, que autor é esse que me fez achar por mais de duzentas páginas que eu estava lendo uma ficção e chegou ao final me deu um tapa na cara me trazendo de volta para a realidade e me sentindo a pessoa mais idiota do mundo?
   Com certeza isso foi o que mais me conquistou no livro, essa capacidade que o autor teve de eu mesmo me iludir e depois num baque, me sentir enganado por ele, sabendo que o responsável daquilo tudo era eu mesmo.

Então, esse livro leva 4 diários!

Espero que tenham gostado dessa resenha, e fica aí uma ótima recomendação para vocês lerem em um final de semana. 
Até a próxima Ledores!

10 April 2015

Resenha: Orion - O Filho das Trevas

Sinopse: Fabio Flores tem dois melhores amigos a quem ele confia todos os seus segredos, inclusive seu amor não correspondido por sua melhor amiga, a bela e meiga Cecília, a namorada do seu maior desafeto e o aluno mais rico e popular do colégio: Luciano Albuquerque. A história de Fabio começa a tomar novos rumos após um terrível acidente em sua vida, levando-o a largar os estudos e os amigos passando a viver uma existência miserável. No auge de sua depressão, ele conhece um homem misterioso que lhe faz uma proposta tentadora. O jovem, então, se depara com um mundo sobrenatural que não imaginava existir, cheio de surpresas e perigos. Em meio a tantos novos e importantes desafios, Fabio precisará fazer uma escolha essencial entre em quem ele se transformou e quem realmente é – o que poderá custar não somente a sua vida, mas também a das pessoas a quem ama.
Skoob

RESENHA
   Neste livro, acompanhamos a história de um jovem que está a um passo de ter sua vida mudada completamente e drasticamente. Vamos lá!
   Fábio Flores é um jovem cuja sua única família é o seu pai, Jorge que faz o possível e o impossível para sustentar seu filho. Ele trabalha em dois empregos e mal sobra tempo para dedicar-se à Fábio., porém o jovem que é muito inteligente, não o julga, totalmente ao contrário, ele compreende seu pai e usa os obstáculos como motivação para se dedicar ainda mais aos estudos, e já que é bolsista em uma das escolas particulares mais conhecidas do Rio de Janeiro, isso não é tão fácil assim. Mas apesar de tudo, Fábio se destaca com suas notas altas diante todos os alunos ricos e mimados, o que faz alguns alunos morrerem de inveja do pobre menino que se mistura a juventude nobre da cidade.
   Como todo menino a juventude a flor da pele, Fábio tem como grande amor de sua vida Cecília, porém a mesma namora Luciano, o garoto mais popular da escola e que tem uma desavença e um certo ódio contra Fábio, já que ele mesmo sendo pobre consegue tirar notas sem o mínimo de esforço enquanto Luciano usa todos os seus recursos e mesmo assim não consegue superar seu arqui-inimigo.
   A vida de Fábio muda quando ele deixa seus dramas da juventude, como o seu amor secreto por Cecília, a rivalidade de Luciano, superar o preconceito de todos os alunos quando em um acidente, seu pai entra à sua frente para que Fábio não seja acertado por um carro em alta velocidade. Nisso, temos um jovem que vê sua única família sendo destruída, pois minutos após o acidente, seu pai vem a falecer.
   Alguns dias depois, o jovem ainda não se conforma e não aceita a ideia de que está sozinho no mundo apesar de seus amigos estarem dando conforto, ele simplesmente não consegue acreditar que a vida de seu pai, a pessoa mais bondosa que já conhecera no mundo, fora tirado dele.
   E é quando ele está tomado pelo luto e pela vingança que aparece Sammael, um homem tão misterioso a ponto de só Fábio conseguir vê-lo. Intrigado com isso, ele sente-se atraído por todo esse mistério e resolve se aventurar em um mundo que Sammael está prestes a mostrar ao jovem.
   A partir daí, é questão de pouco tempo para ele estar envolvido nesse novo mundo do qual nunca imaginaria sequer existir. Dado como morto pela angustia, Fábio volta a vida com um novo nome: Orion. E Orion é praticamente uma outra pessoa, um ser não humano dominado pela maldade mas com resquícios ainda humanos, e que precisa da essência da vida humana para sobreviver, o sangue. Dotado de poderes supernaturais, e a cada dia que passa descobre ainda mais poderes, o jovem vampiro nos levará a uma aventura fascinante entre combater o verdadeiro mal e ainda tentar proteger seus antigos amigos.

   Antes de mais nada, essa é a primeira parceria do blog então não poderia deixar de começar dizendo o quão feliz e realizado fiquei quando recebi um "sim" de parceria de um autor nacional, mas sobre a parceria, falaremos disso mais tarde... 

   Logo no prólogo já me senti preso a história, pois a forma como o mistério de poucas páginas e sua escrita é tão assustadora que fizeram uma junção espetacular sobre a premissa do livro.

   O enredo... No início no primeiro capítulo já senti a crítica à sociedade em que o autor faz. Preconceito, corrupção, adolescentes mimados que acham que tudo vai ser resolvido com o dinheiro de seus pais, drama de famílias tão ricas que as vezes esquecem que seus filhos merecem uma educação com princípios de humildade e com a falta disso, as crianças crescem e se tornam "artificiais". E com isso, também vemos Fábio que já está farto de toda essa sociedade em que vive que está a ponto de chegar ao seu limite, respondendo com violência sobre esses preconceitos ao qual sofre.

   O livro me fez pensar muito na desigualdade em que existe atualmente, porque cá entre nós, o início do livro é apenas um relato real sobre onde vivemos. Nós andamos de ônibus, temos dificuldades, às vezes podemos ser financeiramente melhor ou pior do que algumas pessoas, mas que no final de tudo isso somos apenas seres humanos sem diferença alguma. Por isso gostei bastante desse livro, por ser nacional o autor conseguiu descrever com bastante detalhes que enfrentamos à nossa volta.

   Vamos voltar ao enredo da história... Todo esse inicio e apresentação do livro parece ser apenas mais uma história adolescente em meio a tantas que existem por aí, mas ao ler, você passa a se identificar com tudo e com a escrita, que é questão de tempo para você se introduzir na história e ficar revoltado com os acontecimentos. (como foi que aconteceu comigo.)

   Os personagens... Fiquei muito admirado como o autor conseguiu descrever nos personagens todos os defeitos e qualidades humanas que todos nós temos, ele expõe tudo isso de uma forma tão nítida que você fica surpreso ao comparar aquilo com a sua realidade, com a forma que seus amigos agem, a forma como você é com sua família e com os sentimentos que você sente.
Acompanhamos também como a humanidade de uma pessoa pode ser tirada em questão de segundos, e sendo fantasia ou não, isso pode acontecer com cada um de vocês.

   A narrativa... O livro é composto por uma narrativa em terceira pessoa, então como ponto positivo, podemos observar a história de vários pontos de vista. Também essa narrativa numa hora nos fornece detalhes incríveis de sensações e momentos humanos e noutra acontece tudo rápido e você tem que ler e reler determinadas páginas para absorver toda a aventura. Mas isso não foi um ponto negativo, ao contrário, é como se o autor fizesse isso de propósito para instigar o leitor a continuar lendo e usar essas aventuras como longas reflexões.

   A escrita... Sabe, acho que um dos prazeres em ler livros nacionais é que você consegue sentir o sotaque e a cultura do autor através de sua escrita. Com esse livro foi a mesma coisa, consegui distinguir o sotaque carioca de Rodrigo Kilzer e em algumas vezes dei muitas gargalhadas com gírias das quais aqui na região em que moro nós não à usamos.
   Quando se lê muitos livros estrangeiros você se acostuma com uma determinada tradução dependendo da editora, que você mesmo chega a um certo ponto de se sentir "engessado" com todas as escritas do livro que lê, e ler esse livro foi o empurrãozinho que faltava para eu reservar mais lugares da minha estante para livros nacionais.

   A mitologia... Você já deve estar cheio de ler sobre vampiros e coisas desse tipo, mas particularmente, achei que o Rodrigo criou uma mitologia bem legal e conseguiu descrever a transição que é quando um humano se torna vampiro (se é que é possível)... Ele descreve isso de uma forma brutal e sinistra que em alguns momentos fiquei assustado. Mas também mesmo assim ele preserva uma parte da humanidade do vampiro, porque em meus conceitos, vampiros também são metade-humanos não é? Afinal, antes de se tornarem esse ser, tiveram uma vida humana.

   O livro leva com muito orgulho 4 diários!

   Ah, e não menos importante, não poderia deixar de falar aqui sobre a menção em que o autor faz ao Ballet. ~que eu amo muito.
   Ele descreve o mundo por trás dos palcos exatamente como ele é! Vejam:
"Bom não é o suficiente para o balé. O balé tem que ser espetacular. É isso o que as pessoas pagam para assistir. Um espetáculo."

   Agora, sobre a parceria, clique aqui para visualizar o post dedicado ao autor. Lá também você vai encontrar o link do primeiro capítulo do livro, as redes sociais e duas opções de links para comprar o exemplar. 
  Mais uma vez falo que fiquei super feliz quando recebi o livro, para todo blogueiro ter parcerias diretamente com o autor é uma grande fonte de motivação para que continuemos fazendo o nosso trabalho.
   Junto ao livro, ele também mandou marcador de página de seu livro, e os dois autografados! Vejam só:


   E o post chega ao fim, mas antes vou mostrar à vocês alguns quotes e marcações que fiz ao longo da leitura. Basta clicar em cima da imagem para ver em uma resolução maior e se deliciar com essas frases da qual gostei muito.




 Espero que tenham gostado dessa super resenha e que fiquem feliz por essa conquista que o blog conseguiu... 
Até mais Ledores!

09 April 2015

Parceria + Entrevista: Autor - Rodrigo Kilzer

   É com imenso prazer que venho anunciar à vocês que o blog Diário de um Ledor conseguiu realizar sua primeira parceria com um autor. Fiquei muito feliz e me senti bastante realizado quando recebi um "sim" como resposta e logo que o livro chegou já o devorei, que aliás, para conferir a minha resenha clique aquiMas vamos falar um pouquinho sobre o livro e o seu autor!

ORION - O FILHO DAS TREVAS

Sinopse: Fabio Flores tem dois melhores amigos a quem ele confia todos os seus segredos, inclusive seu amor não correspondido por sua melhor amiga, a bela e meiga Cecília, a namorada do seu maior desafeto e o aluno mais rico e popular do colégio: Luciano Albuquerque. A história de Fabio começa a tomar novos rumos após um terrível acidente em sua vida, levando-o a largar os estudos e os amigos passando a viver uma existência miserável. No auge de sua depressão, ele conhece um homem misterioso que lhe faz uma proposta tentadora. O jovem, então, se depara com um mundo sobrenatural que não imaginava existir, cheio de surpresas e perigos. Em meio a tantos novos e importantes desafios, Fabio precisará fazer uma escolha essencial entre em quem ele se transformou e quem realmente é – o que poderá custar não somente a sua vida, mas também a das pessoas a quem ama.






Biografia
   Nascido no dia quinze de agosto, Rodrigo Kilzer se apaixonou pela literatura ainda na infância, quando seu pai e seu irmão mais velho liam para ele os livros de Monteiro Lobato. Quando estava na segunda série, com apenas oito anos de idade, já demonstrava interesse pelo universo do ocultismo e insistentemente pediu ao seu pai para lhe comprar um livro de magia. Durante sua adolescência ele conheceu os jogos de interpretação nos quais precisava criar vários cenários, desenhos, personagens e histórias. Essas e outras experiências foram fundamentais para lapidar seu lado criativo e impulsioná-lo a escrever seu primeiro romance.

   E como não poderia passar despercebido, é lógico que fiz uma série de perguntas para o autor. Está aí uma pequena entrevista:

   1. Com qual idade você iniciou suas leituras e entrou para esse mundo dos livros?
   Resposta: Eu comecei a gostar de livros antes de aprender a ler, acho que com 4 ou 5 anos, quando liam histórias de Monteiro Lobato para mim... Como eu adorava aquelas coleção de livros verdes. 

   2. Quando você olhou para si mesmo e pensou: "Eu quero escrever"?
   Resposta: Eu sempre gostei de escrever, escrevia muitos poemas e filosofias. Mas sempre guardei pra mim, vez ou outra mostrava para algumas pessoas próximas. Eu sempre fui muito sensível a críticas, então tinha medo de expor algo tão intimo para alguém. Mas um belo dia eu pensei comigo mesmo, eu tenho tantas ideias que gostaria que virassem livros, eu vejo tantos livros e filmes por ai tão previsíveis e entediantes. Então por que não tentar? 

   3. Você lê que gêneros de livros e quais autores você admirava?
   Resposta: Eu gosto de tudo um pouco, acho que depende mesmo é da forma como a história é contada. Eu admiro Rowling, Tolkien, Zimmer, Anne Rice, Veríssimo, André Vianco.

   4. Como surgiu a ideia de toda a história de "Orion - O Filho das Trevas"?
   Resposta: Então, eu tinha e tenho muitas ideias, se não em engano foi em 2006 que pensei como seria toda a trilogia de Orion. 

   5. Você se sentiu inspirado em alguma obra ou autor para a escrita do seu livro?
   Resposta: Acredito que todos os autores que citei acima me inspiraram de alguma forma.

   6. Como foi o processo de desenvolvimento da escrita do livro?
   Resposta: Foi acontecendo naturalmente, eu queria escrever algo que fosse do mesmo jeito que eu gostaria de ler. Sempre fui e serei muito crítico em relação ao que leio e assisto. Então eu queria escrever e contar uma história que eu realmente gostaria de ler. 

   7. Teve algum personagem do qual você se inspirou em alguém ou se identifica?
   Resposta: Todos os personagens levam um pouquinho de mim. Mas eu também me inspirei no jeito de várias pessoas com quem convivi. Inclusive os personagens têm nomes de pessoas próximas. Guilherme por exemplo é o nome do meu irmão mais novo. 

   8. Como você se sente em relação ao seu livro quando recebe uma crítica positiva? E negativa?
   Resposta: Quem não ama ser elogiado né? Eu não sou diferente, eu fico todo bobo, e me empolgo muito pra terminar o segundo livro. Quando recebo uma crítica negativa eu ficava bem triste, mas agora eu estou mais desencanado. Afinal se nem Harry Potter agradou todo mundo, quem sou eu pra tentar agradar? rsrs Mas sempre tento analisar os argumentos e entender o porquê das críticas, para que eu possa melhorar. E me dedico ainda mais no segundo livro. 

   9. Qual sua dica para escritores que estão em processo de escrita?
Resposta: Acho que a melhor dica que posso dar é, escutem sua voz interior. Sem ela é impossível escrever de verdade.

Material de Divulgação

Links para a venda:
(OPÇÃO 1)  (OPÇÃO 2)

Página no Facebook do livro
Livro no Skoob

Até mais Ledores!

08 April 2015

Indicando 5 seriados!

   Olá Ledores, tudo bem com vocês? Prometi há vários posts atrás que iria diversificar o assunto central do blog, então venho hoje aqui para indicar 5 séries que acompanho e recomendo! Lógico que foi uma luta tensa escolher só 5 dentre as 27 que vejo, mas até cheguei a um resultado justo e usei como base, escolher séries que não são tão conhecidas. Então, vamos lá?


1. True Blood (Série finalizada)
   Como não começar indicando a minhas série preferida de todos os tempos? True Blood é um misto de aventura com fantasia que é impossível não amar, foi a primeira série que vi e ela que me trouxe para os demais seriados que vejo, mas por ser a primeira, sempre será especial, e por diversos quesitos, ela é a minha preferida de todas, mas que infelizmente, já acabou! 
Sinopse: A série mostra Sookie Stackhouse, uma garçonete que pode ler os pensamentos das pessoas. Sua vida vira de ponta-cabeça quanto ela conhece o vampiro Bill dois anos depois dos vampiros "saírem do caixão" se revelando para a humanidade. Isso aconteceu graças à criação por pesquisadores Japoneses de um sangue sintético chamado “Tru-Blood“ (que dá nome à série). Os vampiros agora, com sua existência revelada ao mundo, lutam por direitos civis e o reconhecimento da sociedade, enfrentando seus medos e preconceitos.

2. Skins (Série finalizada)
   Sabe aquela série nostálgica que te faz querer muito fazer parte daquele mundo? É essa! Skins, é uma série britânica que tem como foco nos apresentar a juventude e os dramas que todos passam em algum momento de sua vida, normalmente na adolescência. Apesar da série ser resumida em festas, drogas, sexo e jovens rebeldes, acho essa série uma grande filosofia e fonte de reflexão para a nossa vida. É uma série inteligente, emocionante e que à cada episódio, você se sentirá propício a chorar.



Sinopse: "Juventude à Flor da Pele" é um drama teen inglês que focaliza em um grupo de adolescentes, que mora na cidade de Bristol. A série mostra as angústias dos personagens e os seus problemas pessoais, enquanto eles precisam lidar com questões relacionadas a raça, religião, sexualidade, drogas e transtornos alimentares.

3. Falling Skies
   Essa é uma série extremamente boa, mas não muito conhecida porque até hoje não encontrei e não fiz nenhuma amizade com alguém que também a acompanha. Mas resumidamente, é tipo um The Walking Dead com alienígenas ao invés de zumbis. Eu particularmente adoro essa série, embora ache que a história dessa quarta temporada tenha saído um pouco do ritmo das anteriores, mas mesmo assim, é viciante e super recomendo!
Sinopse: Escrito e produzido por Robert Rodat e Steven Spielberg, esta série se passa depois de uma raça alienígena ter dizimado a maioria da população humana. Um grupo de soldados se mobiliza para tentar se opor contra a força alienígena.

4. The Middle
   Descobri essa série ano retrasado quando ela já estava em sua quinta temporada, e assim que vi o piloto, só parei de ver quando já não tinha mais nenhum episódio para ver. Esse seriado segue ao estilo de The Big Bang Theory: gênero de comédia com episódios de vinte minutos cada. Adoro tanto essa série que me sinto parte da família Heck, e sem contar que Brick ama livros e ao longo da série ele já leu mais livros do que li a minha vida toda. Sem exagero, mas é impossível ver essa série e não se apegar em todos os personagens.
Sinopse: Frankie e seu marido, Mike, vivem em Orson, na Indiana, desde sempre. Homem de poucas palavras, Mike é o gerente das escavações e Frankie é a terceira melhor vendedora de carros usados em uma empresa com três empregados. Ela pode não ser uma empresária superpoderosas, mas quando o assunto é sua família, ela faz o possível e o impossível. E com filhos assim, geralmente ela tenta o impossível. Temos Axl, seu filho adolescente semi-nudista, Sue, a adolescente esquisita que falha em tudo que tenta fazer, e Brick, o garoto de sete anos cuja melhor amiga é sua mochila de escola. Às vezes parece que todos estão tentando chegar ao topo (ou lutando para não chegar o fundo do poço), mas acreditamos que Frankie e sua família vão encontrar muito amor e muitas risadas em algum lugar no meio do caminho.

5. Looking
   Essa série é meio que um tabu, mas não poderia deixar de indicá-la aqui. Trata-se de um seriado com temática LGBT, com enredo de destaque o mundo gay. A série recentemente chegou ao fim de sua segunda temporada, e pelo o que fiquei sabendo, ela foi cancelada. Infelizmente como fã, fiquei muito triste, mas no mundo de hoje é difícil chegar com esse tema e conseguir espectadores para mais de duas temporadas... Enfim, é uma série super bacana que retrata bem esse mundo ao qual as pessoas "normais" acham tanto estranho. Assistindo a série você percebe que o gay, é uma pessoa como você. Ele tem contas à pagar, ele trabalha, ele passa por problemas, ele se diverte, enfim, ele faz tudo o que qualquer pessoa faz, inclusive se apaixonar... E falando em paixão, essa série é um misto de paixão com drama que te prende bastante.
Sinopse: Patrick é um jovem de 29 anos de idade que trabalha como designer de vídeo game. Depois de terminar um noivado, ele volta a circular no mundo dos "solteiros à procura". Quando a série tem início, ele ainda está tentando lidar com a ideia de que seu ex vai se casar. 
Augustín tem 31 anos. Apesar de relutante, ele concorda em ir morar com seu namorado Frank, em Oakland, mas teme não ser capaz de manter uma relação monogâmica longe da badalação noturna.
Com 39 anos, Don é o mais velho dos três. Trabalhando há anos como garçon, ele divide um apartamento com sua amiga Doris. Ao reencontrar Ethan, sua antiga paixão, ele fica surpreso em ver que agora ele é um bem sucedido agente imobiliário. Isto leva Don a perceber que ele ainda não conseguiu se realizar profissional e pessoalmente, o que faz com que ele comece a vivenciar a crise da meia-idade.
Em meio às histórias dos três amigos, a série acompanha a vida de São Francisco por onde transitam diversos personagens. Entre eles, Lynn, um empresário atraente que se torna a voz de Castro, um dos mais importantes e simbólicos bairros gays da cidade; Kevin, um especialista em vídeo games que já conseguiu se estabelecer financeiramente; Richie, um barbeiro que também trabalha como porteiro no drag club latino Mission; e Owen, colega de trabalho de Patrick.

   Pessoal, chegamos ao fim das indicações, mas quem sabe eu não volte aqui para fazer uma "parte 2" desse mesmo post indicando mais cinco séries? Enfim, espero que vocês gostem e levem a sério o fato de começar a ver alguma série que mencionei aqui, garanto que não vão se arrepender. 

   Até mais Ledores!